O Saber dos Sabores
Vevé Bragança
Curso de vinhos | Ver todos

Vinhos de sobremesa

Os chamados vinhos de sobremesa, são vinhos finos doces, cuja a concentração de açúcar é superior a 20 g por litro de vinho. Esses vinhos podem ser brancos, rosados ou tintos.

Quanto à maneira como são elaborados, os vinhos de sobremesa se dividem em:

1. Vinhos de Colheita Tardia ou Late Harvest

noble rotSão vinhos elaborados com uvas pós-amadurecidas. Os frutos são deixados propositalmente na videira algum tempo após atingir  a maturidade, com o objetivo de eliminar água e concentrar açúcares e extratos.

Este processo, hoje utilizado em vários países, foi criado na Alemanha para produzir os vinhos denominados, Spätlese, Auslese e Trockenbeerenauslese, este último é chamado também de vinho botritizado.

Na França, os vinhos de colheita tardia, são denominados, genericamente, de vins doux naturels ou vins liquoreux. Entre eles, estão os Muscat, (da uva Moscato) como o Muscat de Beaumes de Venise, Muscat de Frontignan, Muscat de Rivesaltes. Destacando-se os Sauternes, que são vinhos botritizados.

No sul da França há o Banyuls, um vinho doce tinto, elaborado com a cepa Grenache, que, segundo os franceses, é adequado para acompanhar sobremesas à base de chocolate.

Na Itália, entre os vinhos de colheita tardia, podemos encontrar os Moscato d’Asti, em Asti – Peiemonte, o Vin Santo de Chianti na Toscana, os Malvasia (da uva de mesmo nome) da Sicilia.

* Vinhos botritizados

800px-Sauternes_noble_rot_grapesEm algumas regiões da Europa, sobretudo na Alemanha, na França e na Hungria, ao final da maturação, as uvas são sofrem, inusitadamente, ação de um fungo chamado, Botrytis Cinerea.

O fungo ocasiona micro perfurações nas cascas das uvas, causando eliminação de água, proporcionando concentração dos açúcares. O fungo se apresenta na forma de um pó acinzentado. Em latim,  Cinerea significa cinza.

Botrytis_rieslingNão é possível estimular nem evitar o ataque desse fungo, por isso é considerado um capricho da natureza. Assim, os vinhos produzidos com uvas atacadas por este fungo, são chamados de botritizados, sendo raros, peculiarmente saborosos e caros.

 

Entre os vinhos botritizados destacam-se os vinhos da denominação Sauterne, em Bordeaux, os Tokaj, na Hungria, os Trockenbeerenauslese (TBA), na Alemanha.

YquemSauterne é a denominação do vinho francês branco doce e aveludado, elaborado com as uvas Sauvignon Blanc, Sémillon e Muscat na região de mesmo nome.

 O mais famoso Sauterne é o Chateau d’Yquem.

 

tk

Tokaji é a denominação do vinho encorpado elaborado na Hungria, geralmente com as cepas Furmint e Hárslevelü Semillon. São comumente doces. Mas, há as versões seco e semi-seco.

A graduação de açúcar e qualidade é medida em Puttonyos.

 

2. Ice Wine – Vinho do gelo

icewine7

Em algumas regiões mais frias do globo, a colheita tardia acontece no outono, quando ocorre a primeira neve e as uvas congelam durante a noite. As uvas super maduras são colhidas congeladas e logo prensadas de maneira delicada. A fermentação ocorre o mais natural quão possível, aproveitando os cristais de gelo eu o mosto com alta concentração de açúcares.

Os vinhos produzidos dessa forma são denominados “vinhos do gelo”.

eisweinIce wine – Áustria e Canadá

Eiswein – Alemanha

 

 

 

3. Vinhos de uvas passas ou Passitos

passito-di-pantelleriaOs cachos das uvas, colhidas ao término da maturação, são deixados para secar, abrigadas em galpões cobertos e arejados, propiciando uma desidratação progressiva, num processo similar ao da produção de passas.

Este processo é utilizado na Itália, na elaboração de vinhos doces chamados de Passitos na Sicília e na Emiglia-Romana e, de Recioto no Veneto.

O mais famoso Passito é o siciliano, Passito di Pantelleria.