O Saber dos Sabores
Vevé Bragança
Artigos sobre gastronomia | Ver todos

Pensando em se tornar um(a) Chef?

Teste de aptidão para quem deseja se tornar um Chef

Atualmente, muitos jovens e até pessoas mais maduras, seduzidos pelo modismo gastronômico e pelo ufanismo promovido pela grande mídia, têm ingressado em cursos de Gastronomia com a intensão de tornar-se um Chef, mesmo que não atuem profissionalmente.

Para verificar aptidão a fim de se tornar e atuar como um Chef, proponho o experimento abaixo. O qual, revelará se a pessoa possui ou não o perfil adequado para trabalhar em uma cozinha com Chef.

A experiência deve durar 1 mês inteiro e deve incluir impreterivelmente todos os 7 dias da semana, inclusive feriados.

O(A) candidato(a) a Chef deve cozinhar duas refeições diárias (almoço e jantar) para aqueles que habitam o mesmo espaço que o candidato a Chef, sejam elas da família ou amigos.

Planejamento 1 – O(A) candidato(a) deve elaborar um cardápio diferente para o almoço e outro para o jantar para cada dia da semana. Os cardápios devem contemplar entradas, pratos principais e sobremesas. Os cardápios não devem se repetir.

Planejamento 2 – O(A) candidato(a) deve escrever todas as receitas e /ou fichas técnicas de todos os pratos que irão compor os seus cardápios.

Planejamento 3 – O(A) candidato(a) deve escrever todas as listas de compras dos ingredientes necessários para a elaboração dos pratos que irão compor os seus cardápios.

O(A) candidato(a) deverá elaborar sozinho(a) todas as receitas dos pratos que irão compor os seus cardápios e, servi-los empratados aos convivas.

Todos os pratos que o(a) candidato(a) irá elaborar deverão seguir os seguintes parâmetros, a fim de que estejam inseridos realmente no conceito de Gastronomia:

Boa apresentação (técnica iniciada na França, no século XVII, pelo mestre de cerimônias e cozinheiro François Vatel), pois os convivas devem se encantar com as cores e formas dos alimentos e serem estimulados à próxima etapa.

Bouquet aromas – É uma pré-degustação do prato e propicia a salivação (pré-digestão dos alimentos. A saliva lubrifica a boca e nela encontra-se uma enzima chamada ptialina, que digere parcialmente o amido transformando-o em maltose). O prato deve contemplar os aromas de cada um de seus ingredientes mais expressivos e não apenas um único aroma ou o aroma de um único ingrediente.

Bouquet de sabores – O prato deve contemplar os sabores de cada um de seus ingredientes mais expressivos e não apenas um único sabor ou o sabor de um único ingrediente. A finalidade é não haver monotonia gastronômica e dar prazer, agradando o paladar e estimulando a alimentação.

Respeito às texturas dos ingredientes mais expressivos – Através desse parâmetro podemos verificar o domínio do cozinheiro sobre os métodos de cocção empregados na elaboração de cada preparação. Boas texturas também quebram a monotonia gastronômica e garantem a vontade do conviva em continuar se alimentando e apreciando o prato.

Digestibilidade (leveza da preparação e sua aceitação pelo organismo) – Por meio desse parâmetro podemos verificar o domínio do cozinheiro sobre as técnicas culinárias de manipulação específica para cada ingrediente empregado na elaboração das preparações.

Feedback – O(A) candidato(a) deverá pedir aos degustadores, que apresentem críticas às suas preparações, sejam quais forem, positivas, construtivas ou pejorativas, sem meias palavras.

O(A) candidato(a) não deve retrucar, jamais. Deve ouvir atentamente, agradecer e prometer melhorar sempre.

Após ter realizado a experiência, é aconselhável que o(a) candidato(a) faça uma reflexão introspectiva, realizando um balanço sobre a vivência. Caso tenha gostado e achado completamente positiva, o(a) candidato(a) deve ainda repetir experiência por mais 2 meses consecutivos e voltar a refletir sobre o seu real desejo.

Boa sorte e sucesso!