O Saber dos Sabores
Vevé Bragança
Artigos sobre gastronomia | Ver todos

Dicas para quem deseja ingressar em um curso superior de Gastronomia

É imprescindível que toda pessoa que pretenda ingressar em um curso superior de Gastronomia no Brasil, seja de tecnologia (de 2 a 3 anos) ou  de bacharelado (4 anos), realize, previamente, uma pesquisa, tanto sobre o curso, quanto sobre as instituições de ensino que o estão ofertando. Todavia cômoda e dinâmica na busca de informações, não é aconselhável que a pesquisa seja realizada apenas na Internet. É muito importante visitar as instituições de ensino, a fim de verificar as suas instalações e a sua estrutura e também colher opiniões de estudantes e professores.

Com a criação dos cursos de Gastronomia em âmbito acadêmico, diversas instituições de ensino, por todo o país, têm solicitado ao Ministério da Educação e Cultura do Brasil – MEC, autorização para abertura, a maioria de tecnologia. Entretanto, a autorização de um curso não garante, necessariamente, o seu reconhecimento. Dessa forma, o ingressante corre o risco de ter gasto dinheiro, energia e tempo, em um curso que pode vir a não ser reconhecido.

Seguem 10 dicas importantes que podem ajudar a definir a escolha de um curso superior de Gastronomia:

1. Faça uma pesquisa na Internet e verifique quais instituições oferecem cursos de Gastronomia.

2. Visite o web site de cada instituição e verifique qual a modalidade do curso ofertado, se tecnológico ou bacharelado.

3. Faça uma pesquisa na Internet sobre cada uma das instituições que oferecem cursos de Gastronomia e veja o que é falado sobre as mesmas.

4. Verifique no site do PROCON se há alguma ocorrência que envolva a instituição de ensino.

5. Verifique no site do MEC qual a situação da instituição de ensino e do curso. < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12467&Itemid=762 >

6. Busque saber se o curso já passou por reconhecimento do MEC, caso tenha passado, procure saber com qual conceito o curso foi reconhecido. Sempre que um curso superior é reconhecido pelo MEC, a informação é publicada no Diário Oficial da União – D.O.U..

7. Se possível, faça uma visita a cada instituição, a fim de conhecer as suas instalações. Verifique a estrutura disponível para aulas práticas e teóricas (biblioteca e acervo, laboratórios e salas de aulas). Procure conversar e ouvir opiniões dos professores do curso e dos estudantes veteranos.

8. Verifique o currículo do coordenador e dos professores, formação acadêmica, experiência, trajetória profissional e participação no mercado de trabalho. Para isso, utilize a Plataforma Lattes . < http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/busca.do?metodo=apresentar >

9. Converse com o coordenador de cada curso e peça informações sobre o Projeto Pedagógico do Curso e sua Matriz Curricular. Verifique as cargas horárias prática e teórica de cada disciplina e quais competências que elas se propõem a desenvolver.

10. Assegure-se que todos os insumos utilizados nas aulas práticas estão inclusos na mensalidade do curso.

Mas lembre-se, o valor da mensalidade é importante, contudo não deve ser o fator determinante na escolha do curso e da faculdade. Afinal, o sucesso profissional de qualquer pessoa, além do esforço e do desempenho do próprio estudante, começa pela escolha do curso e da instituição de ensino.